Por: Litoral Sul | 07/06/2019

Disponibilizar soluções para o gerenciamento dos resíduos sólidos gerados pelos municípios, comércio e indústria, auxiliando na melhoria dos índices de saneamento locais e na preservação do meio ambiente. Na semana em que o Portal Litoral Sul, está postando matérias especiais sobre o meio ambiente, conheça o trabalho da Rac Saneamento, localizada na comunidade de Poço Oito em Içara.

 

Portal Litoral Sul- O papel da Rac Saneamento é de realizar o gerenciamento de resíduos sólidos. O que seria isto e qual a necessidade?

 Rac Saneamento– De acordo com a Política Nacional dos Resíduos Sólidos – PNRS, estipulada pela lei nº 12.305/2010, o gerenciamento de resíduos sólidos é o conjunto de ações exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, tratamento e destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos. A RAC Saneamento realiza o gerenciamento dos resíduos sólidos, Resíduos Sólidos Urbanos – RSU e Resíduos Sólidos Industriais – RSI (Classes IIA e IIB), cumprindo com todas as etapas descritas acima.

Também de acordo com a PNRS, a gestão integrada dos resíduos sólidos tem por objetivo contribuir com a proteção da saúde pública e da qualidade ambiental; adotar, desenvolver e aprimorar tecnologias limpas como forma de minimizar impactos ambientais, principalmente no que diz respeito à disposição final ambientalmente adequada. Isso também está descrito na Política do Sistema de Gestão Integrado (qualidade e ambiental) da RAC Saneamento, detentora das certificações ISO 9001 (2015) e ISO 14001 (2015), incluindo a capacitação técnica por meio de treinamentos e melhorias contínuas, gerando melhores resultados na qualidade de vida da população atual e futura.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui 

Portal Litoral Sul- De quem é a responsabilidade de gerenciar?

Rac – O gerenciamento dos resíduos sólidos é de responsabilidade dos geradores, sendo eles de iniciativa pública ou privada, ou seja, os resíduos gerados nas residências devem ser separados em “reciclável” e “não reciclável” pela população, devendo observar os dias de coleta seletiva e coleta convencional de acordo com o seu município e bairro, já os geradores de resíduos industriais devem observar a classificação conforme NBR 10.004/04 para realizar a coleta, transporte e destinação final adequada para cada tipo de resíduo.

 

Portal Litoral Sul- Quais as vantagens em fazer este tipo de trabalho?

Rac – O aterro sanitário e industrial da RAC Saneamento se utiliza de procedimentos e técnicas de engenharia para solucionar de maneira ambientalmente segura e socialmente responsável a destinação final dos resíduos sólidos. É importante que o gerenciamento seja realizado cumprindo todas as etapas de maneira consciente, objetivando que os resíduos recicláveis sejam reaproveitados e voltem ao ciclo produtivo, diminuindo a necessidade de extração de recursos naturais e garantindo a preservação do meio ambiente.

 

 

Portal Litoral Sul- E se não gerenciar os resíduos adequadamente, o que pode acontecer?

Rac – Quando não realizada a separação do resíduo reciclável, ele recebe a destinação final no aterro sanitário, impedindo sua reutilização e diminuindo a vida útil do aterro.

 

Portal Litoral Sul- Quais os benefícios da destinação final correta?

Rac – O aterro sanitário e industrial da RAC Saneamento é o local ambientalmente adequado para a destinação final dos resíduos, devido aos diversos controles ambientais e operacionais. Dentre eles podemos citar as diversas obras realizadas na etapa construtiva do aterro, com drenagem das águas subterrâneas; impermeabilização da base do aterro com dupla camada de proteção (camada de argila compactada e geomembrana de Polietileno de Alta Densidade – PEAD); e sistema de drenagem e tratamento do chorume (líquido gerado na decomposição dos resíduos). Além destes, são construídos sistemas de drenagem do biogás (gás gerado na decomposição dos resíduos) e drenagem das águas pluviais. As atividades envolvidas na operação diária do aterro garantem a segurança na disposição final dos resíduos, evitando a poluição do solo e do lençol freático, preservando o meio ambiente e melhorando os índices de saneamento local.

 

Portal Litoral Sul- A Rac recebe resíduos de quais municípios? E isto gera em torno de quantas toneladas mês?

Rac- A RAC Saneamento recebe resíduos de 26 municípios e de aproximadamente 300 empresas, correspondendo a 30% de Resíduos Sólidos Industriais (Classe II) e 70% de Resíduos Sólidos Urbanos. A quantidade média diária de resíduos recebidos no aterro é de 600 toneladas.

 

Portal Litoral Sul- Existe parceria com alguma cooperativa no trabalho de coleta seletiva?

Rac– A Racli Limpeza Urbana, empresa do mesmo grupo RAC Saneamento, é contratada para realizar a coleta seletiva nos municípios e faz a destinação dos resíduos recicláveis coletados para as cooperativas indicadas pela gestão municipal.

 

Portal Litoral Sul- Sabemos que a Rac possui uma planta piloto para realizar testes do aproveitamento do biogás gerado no aterro sanitário e industrial para gerar energia elétrica. Como está o andamento deste projeto?

Rac- O biogás gerado na decomposição da parcela orgânica dos resíduos do aterro é drenado até uma estação que faz seu tratamento e combustão, gerando energia elétrica suficiente para manter a Estação de Tratamento de Efluentes da empresa operando 24h por dia. A planta piloto de aproveitamento do biogás possui Licença Ambiental de Operação – LAO emitida pelo Instituto do Meio Ambiente – IMA. Com este processo, o gás deixa de ser lançado no meio ambiente e passa a ser aproveitado de maneira sustentável.

 

Portal Litoral Sul- A Rac promove algum trabalho voltado para a educação ambiental? Comente.

Rac– A RAC Saneamento possui um Centro de Educação Ambiental e recebe diariamente visitas de instituições de ensino infantil, médio e superior com o objetivo de apresentar as tecnologias empregadas na disposição dos resíduos no aterro sanitário, conscientizar sobre a importância da segregação e destinação adequada dos resíduos e promovendo um contato com a natureza, através de trilha ecológica e horto florestal.

 

Equipe técnica:

Engª Sanitarista e Ambiental – Ionice Maria Vefago

Engº Sanitarista e Ambiental – Leandro Rosso Fernandes

Engº Sanitarista e Ambiental – Luca Silva Rieth

Técnica em Meio Ambiente – Juliani Dominguini