Por: Litoral Sul | 06/02/2019

A cópia do contrato firmado entre a empresa prestadora do serviço de implantação do Parque dos Imigrantes, no distrito de Rio Maina, em Criciúma. Este foi um dos pedidos feitos pelo vereador Julio Kaminski (PSDB), por meio de um requerimento que será encaminhado ao Prefeito Clésio Salvaro. A solicitação aconteceu na sessão de ontem (5), na Câmara de Criciúma.

“O requerimento serve para verificar se o que foi feito consta no que está previsto no contrato. Estou apenas buscando informações peculiares e cumprindo meu papel como vereador”, destacou Kaminski durante o Horário Político do legislativo.

O documento ainda solicita a cópia dos aditivos, dos termos de apostilamento firmados desde a assinatura do contrato até a atual data, como também uma cópia do edital de concorrência e as justificativas sobre paralisação da obra ocorridas durante o ano de 2018.

Lei  proíbe utilização de fogos de artifício e artefatos 

Já na tarde de ontem, o presidente do Legislativo, vereador Miri Dagostim (PP), promulgou a lei nº 7.399 de 4 de fevereiro de autoria da vereadora Angela Mello (MDB), que proíbe o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de estampidos e de artifícios, assim como de quaisquer artefatos pirotécnicos de efeito sonoro ruidoso em Criciúma.

Conforme a matéria, a proibição a que se refere à lei estende-se a todo o município, em recintos fechados e abertos, áreas públicas e locais privados. Para a vereadora, o projeto acompanha uma tendência que vem sendo implementada em diversas cidades no país. “Além das pessoas, a queima de fogos causa danos irreversíveis aos animais, especialmente, aqueles dotados de sensibilidade auditiva”, comentou a parlamentar.