Por: Litoral Sul | 24/05/2019

Com a  confirmação de que um homem de 57 anos, natural da cidade de Lauro Muller está internado no Hospital São José, desde o último dia 17, com gripe Influenza tipo A, a secretaria de Saúde de Criciúma intensifica ações contra a gripe.

Além da Unidade de Saúde Central, localizada ao lado do Hospital São José, a unidade 24h do bairro Boa Vista e a Policlínica do Rio Maina ficarão abertas em horário estendido. Até sexta-feira (31), último dia da campanha, as unidades atendem até às 19h.

Para alcançar a faixa etária mais jovem, furgões com profissionais vacinadores estarão estacionados em frente a escolas da rede municipal, também até às 19h. Na terça-feira (21) o veículo da Secretaria de Saúde esteve em frente ao Colégio Lapagesse, na quinta-feira (23), esteve em frente ao Colégio Michel. Na próxima semana, terça-feira (28), estará em frente ao Colégio São Bento e na quinta-feira (30), no CEI Afasc Carlos Piazza, no bairro Pinheirinho.

Segundo a secretária de Saúde, Franciele Gava, além das medidas rotineiras, um acompanhamento especial está sendo feito com as puérperas. “Estamos conferindo na lista de nascidos vivos, quais mães já se vacinaram. Vamos entrar em contato com as que ainda não fizeram a vacina para que procurem uma unidade de saúde. Também estamos intensificando a campanha através das redes sociais e conversamos com a secretária de Educação, Roseli de Lucca, para que as crianças sejam liberadas das atividades escolares, se necessário, para realizar a vacina”, comentou.

Até esta sexta-feira (24), 68,66% da população já havia sido vacinada. Foram aplicadas 40.739 doses. O grupo prioritário de idosos é o mais vacinado com 86%, em seguida vêm as puérperas, com 70%, crianças, 61%, gestantes, 59%, professores, 57%, e trabalhadores da saúde, 45%.

Sintomas são mais graves que a gripe comum

Segundo a coordenadora do Programa de Imunização, Patrícia de Carvalho, os sintomas da influenza são um pouco mais graves que o da gripe comum. “Começa com uma gripe comum, com tosse, febre, espirros e dor de garganta. O que difere é a falta de ar”, explicou.