Por: Carlos Filipe | 12/01/2019

Um crime bárbaro foi elucidado pela Polícia Civil. O assassinato de Agenor Della Bruna, de 69 anos, ocorrido, na última quarta-feira (9), foi esclarecido após dois dias de investigações, que apontaram que a filha da vítima teria planejado a morte do pai para ficar com uma quantia em dinheiro.

Conforme as informações do delegado Jorge Giraldi, além da mulher, três homens e um adolescente também são suspeitos de participação no caso. Os policiais apuraram que foi a filha que tocou o interfone para que o idoso abrisse o portão. Então, os outros envolvidos entraram e roubaram alguns objetos. Na sequência, a vítima foi levada até Nova Veneza, onde foi morta a facadas. Por fim, a residência de Agenor e o carro dele foram incendiados.

A morte teria sido motivada por uma herança, pois a filha afirmou que o idoso teria R$ 100 mil guardados em sua residência. Os outros suspeitos teriam sido convencidos a participar do crime pois receberiam parte do valor, contudo, apenas R$ 500,00 foram roubados da casa de Agenor.

Agora, os envolvidos devem responder pelos crimes de corrupção de menores, formação de quadrilha, ocultação de cadáver e latrocínio (roubo com morte).