Por: Litoral Sul | 13/08/2019

Os vereadores aprovaram por unanimidade na sessão desta segunda-feira, 12, o projeto de lei de autoria do vereador Julio Kaminski (PSDB) que obriga a manutenção de equipe de brigada profissional, composta por bombeiros civis, nos estabelecimentos da cidade de Criciúma.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Entre os estabelecimentos estão: shopping centers; casas de shows e de espetáculos cuja capacidade de lotação seja de, no mínimo, 400 pessoas; hipermercados, grandes lojas de departamentos; campus universitário cuja capacidade de lotação seja superior a mil pessoas ou circulação média seja de 1,5 mil pessoas por dia; edificações ou plantas cuja ocupação ou cujo uso exijam a presença de bombeiros civis, conforme legislação estadual de proteção contra incêndios do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina.

Garantir a segurança 

O objetivo da matéria, segundo o autor, é garantir segurança aos munícipes que utilizam os estabelecimentos que relaciona. “O bombeiro civil profissional é um componente fundamental na segurança e também para os primeiros socorros caso necessário, a presença de bombeiros profissionais em eventos é muito importante, pois eles são responsáveis por diversos pontos fundamentais que garantem a segurança das pessoas e do patrimônio”, explica o parlamentar.

Profissionais qualificados e treinados

Kaminski enfatizou que todas as medidas de segurança contra incêndios exigidos pelas normas do Corpo de Bombeiros Militar necessitam de inspeção e testes, sendo necessários profissionais qualificados e treinados que, no momento de um sinistro, possam garantir a salvaguarda dos valores da edificação (meio ambiente e patrimônio), bem como das vidas que ali se encontram. “Evidentemente, o Bombeiro Civil não atua apenas na prevenção e combate a incêndio, mas também, avalia os riscos existentes, inspecionam periodicamente os equipamentos de proteção e equipamentos de combate a incêndio, programa plano de combate e abandono, interrompe o fornecimento de energia elétrica e gás liquefeito de petróleo quando da ocorrência de sinistro, atua no resgate de pessoas em situação de perigo iminente, emergência médica pré-hospitalar, salvamento aquático, intervenção em acidentes elétricos, hidráulicos e com produtos químicos, prevenção e acompanhamento em determinadas atividades como solda, enfim, atua em diversas atividades relacionadas à prevenção de acidentes”, comenta o tucano.

Emergências clínicas e traumáticas 

O autor do projeto ressaltou que o bombeiro civil treinado para atuar com desfibrilador aumenta em 90% as chances de uma pessoa sobreviver ao infarto e a outras causas de mortes relacionadas à falta do atendimento cardiovascular de emergência. Além disso, ele pode atuar em outros acidentes que provocam emergências clínicas e traumáticas.

De igual modo, as escolas estarão protegidas se puder contar com um profissional experiente e treinado para realizar manobras de desengasgo e outras emergências constantemente veiculadas na mídia e que, na maioria das vezes, levam ao óbito. “A atuação do bombeiro civil reduz a demanda dos serviços do Corpo de Bombeiros Militar, além de reduzir os altos custos para tratamentos de acidentados e restauração do patrimônio”, finaliza.