Por: Litoral Sul | 05/06/2018

Foi por meio de denúncias que a Divisão de Investigação Criminal de Criciúma (DIC), chegou ao autor do assassinato do policial da reserva Carlos Amarildo Vieira, 53 anos, na madrugada do último sábado. Trata-se de um adolescente de 17 anos, que residia no condomínio onde o PM trabalhava.

Segundo investigações, a motivação do crime foi pelo fato do policial estar repassando à polícia militar informações sobre ações ilícitas praticadas pelos moradores do local. O adolescente também é acusado pela morte de uma usuária de drogas, na madrugada do dia 31 de maio, no bairro Progresso.

Conforme a polícia os homicídios foram praticados com pistola calibre 380, figurando como suspeitos jovens integrantes de facção criminosa que atuam nos vizinhos bairros Progresso e Jardim União. A investigação por parte da DIC prossegue visando localizar a arma do crime e verificar se mais alguém participou dos homicídios, pois o adolescente não quis informar o paradeiro da pistola e alegou ter cometido sozinho os dois homicídios.

Busca

Desde sábado pela manhã, o suspeito vinha sendo procurado pela polícia de Criciúma, sendo localizado no início da tarde de ontem, pela DIC de Criciúma, em uma casa no bairro Progresso. Ele foi conduzido até a delegacia e acabou confessando com detalhes ter sido o autor dos homicídios.

Para a polícia, ele contou que matou a usuária de drogas pelo fato dela ter praticado um furto na casa de um parente, e que matou Amarildo, em razão dele estar atrapalhando as ações ilícitas praticadas por ele e seus comparsas.

Com a confissão, junto de outras provas produzidas durante a investigação, o delegado Fernando Pagani Possamai, da Delegacia de Proteção à Criança, adolescente, mulher e idoso, representou pela internação provisória do adolescente sendo atendido pela Promotoria de Justiça e pelo Juízo da Infância e Juventude de Criciúma. Ele foi internado na noite de ontem e ficará por 45 dias no Casep.

Até a prática dos homicídios, o menor possuía seis passagens policiais por furto de veículo, roubo à mão armada, receptação e tráfico de drogas.

Policial da reserva é assassinado a tiros dentro de condomínio residencial