Por: Litoral Sul | 21/08/2018

A Divisão de Investigação Criminal (DRR/DIC) concluiu as investigações em quatro inquéritos policiais. Ao todo, cinco pessoas foram identificadas e indiciadas por roubos armados que envolvem veículos, residências e comércios. O sexto investigado foi indiciado por extorsão. Foram realizadas três prisões originadas destas investigações.

No Centro, uma mulher foi vítima de uma dupla armada que anunciou o roubo. Eles levaram o veículo da vítima. Ainda foi apurado que pouco tempo antes, essa mesma dupla havia furtado outro veículo nas proximidades, que foi utilizado na execução do roubo. Os dois veículos foram recuperados e entregues às vítimas. A dupla (20 e 25 anos) teve sua prisão decretada. Após as investigações, os dois investigados foram localizados e presos. Foram indiciados pelo furto e pelo roubo. Aguardam o julgamento recolhidos.

Outro roubo solucionado ocorreu no bairro Jardim Angélica. Uma residência foi invadida por uma dupla armada. Na casa estava uma mulher, que foi amarrada pelos criminosos. Foram levados vários pertences e o veículo da família. O carro foi recuperado em Morro da Fumaça e foi restituído às vítimas. A investigação policial identificou um dos autores (21 anos). Foi representado pela sua prisão preventiva, que foi deferida. Em rondas, policiais militares encontraram o investigado e constataram o mandado de prisão. Foi encaminhado ao Presídio de Criciúma.

O terceiro roubo elucidado ocorreu no bairro Cidade Mineira Velha. Uma pizzaria foi alvo do crime realizado por três pessoas armadas. Vários clientes e funcionários foram rendidos e tiveram valores subtraídos. A Polícia Civil identificou três suspeitos da ação, sendo um deles adolescente (17 anos). Os adultos (19 e 20 anos) foram indiciados pelo roubo e pela corrupção de adolescente. A conduta do adolescente será apurada pela DPCAMI de Criciúma.

Ainda foi finalizada uma investigação que apontou indícios de extorsão realizada por um homem (20 anos). O suspeito exigia dinheiro da vítima para viabilizar a devolução de um veículo que havia sido roubado. A investigação coletou informações que possibilitaram identificar o intermediário e determinar sua participação no crime. Foi indiciado pelo delito de extorsão, com pena de reclusão até 15 anos.