Por: Litoral Sul | 12/07/2019

As usinas termelétricas a carvão mineral respondem por 38% da geração de energia elétrica no mundo. Também é fonte de calor, essencial para quem vive em países com invernos rigorosos. Em alguns países, como a África do Sul, o carvão mineral responde por mais de 90% da geração de energia elétrica.

É o combustível mais abundante na natureza e foi uma das primeiras fontes de energia usadas pela humanidade. Mas não é só na produção de energia que ele é importante. Ele está presente em nossas casas, desde o cimento e aço usados na construção, ao tratamento de água para torná-la mais saudável para o consumo.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Cimento

As cinzas geradas no processo de queima do carvão mineral são utilizadas na fabricação do cimento no Brasil e no mundo todo. Uma das empresas que usam este produto no Brasil é a Votorantim, que recolhe este material direto na fonte das cinzas geradas pela queima do carvão mineral, na Usina Termelétrica Jorge Lacerda, em Capivari (SC).

A geração de subprodutos é uma das consequências de qualquer processo industrial. No Brasil, com o crescimento do setor industrial, tornam-se maiores as quantidades destes rejeitos surgindo a constante preocupação com o descarte não adequado. Contudo, com os avanços tecnológicos, passaram a ser pesquisadas soluções para a redução dos impactos ambientais,  redução de custos e reaproveitamento de material, como é o caso das cinzas do carvão mineral, com excelentes resultados na construção civil.

Água

O carvão antracito, um tipo de carvão mineral, vem sendo utilizado no tratamento de água pela sua grande porcentagem de carbono e reduzidas impurezas. É utilizado em filtros de tratamento, juntamente com a areia, para retirada de resíduos. Diferentemente do carvão ativado, que usa propriedade química, o carvão antracito usa propriedade física, como se fosse uma peneira onde a sujeira fica retida e sua vida útil é de aproximadamente três anos.  A Companhia de Água e Saneamento de Santa Catarina (Casan), assim como Concessionárias de serviço de água, usam o carvão antracitoso em seus filtros para reter ou remover impurezas no processo de melhoria da água para consumo.

 Saiba mais

O carvão mineral é composto de hidrocarbonetos, ou seja, na sua composição há principalmente carbono e hidrogênio, além de enxofre e outros elementos. A quantidade de carbono presente na sua estrutura determina o tipo de carvão. Quanto maior o teor de carbono, mais puro e maior o poder energético do carvão. São quatro os tipos de carvão: Turfa, Hulha, Linhito e Antracito.

Entre os tipos citados, a hulha é um dos que têm maior importância comercial, pois através da sua destilação a seco na ausência de ar, obtêm-se três frações de ampla aplicação, que são:

Fração gasosa: Contém hidrogênio, metano e monóxido de carbono, sendo usada como combustível e para iluminação a gás de ruas;

Fração líquida: Contém duas partes, as águas amoniacais, que são usadas principalmente para produzir fertilizantes, e o alcatrão de hulha, que é fracionado em cinco partes, sendo usadas para as mais diversas aplicações, tais como produção de tintas, medicamentos, plásticos e pavimentações asfálticas;

Fração sólida: Contém carvão de coque usado em indústrias siderúrgicas para produzir ferro e aço.

Com a Revolução Industrial, inicialmente o carvão se tornou a fonte de energia mundial mais importante, pois o calor gerado na sua queima era utilizado na produção de vapor que movimentava máquinas, locomotivas e navios.

 

Fonte: https://www.worldcoal.org

Revistas técnicas
Sites especializados
Sites de empresas

 

Joice Quadros
Jornalista JP00339SC
(48) 99984 9967
[email protected]