Por: Litoral Sul | 13/09/2018

Os presidentes da Associação de Diários do Interior (ADI-SC), Ámer Felix Ribeiro, da Associação de Jornais do Interior (Adjori-SC), Miguel Ângelo Gobbi, e da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), Marcello Corrêa Petrelli, além de jornalistas de veículos ligados às três entidades, reuniram-se hoje tarde com o governador Eduardo Pinho Moreira. As associações solicitaram um diagnóstico do Estado, tanto do ponto de vista financeiro quanto dos serviços públicos. O encontro aconteceu na sede da Associação Empresarial de Florianópolis (ACIF).

Na oportunidade, Moreira disse estar preocupado e comentou que o próximo governador assume uma dívida de imediato de R$ 2 bilhões, com capacidade de investimento no Estado de quase 0%.

“Este encontro é para deixar tudo muito claro. Dizer que reconquistamos a certidão negativa do Estado há duas semanas, pagamos de fevereiro até o momento R$ 900 milhões de dívidas e que estamos com administrando com o máximo responsabilidades”, disse ele. E completou. “Nossos investimentos hoje são frutos de convênios e empréstimos”.

Ações

Uma das medidas mais exitosas foi a não renovação de benefícios e renúncias fiscais. O governador não soube falar em valores exatos, mas garantiu que boa parte da folga de caixa que vem conseguindo é justamente por conta dessa medida. “Já consegui aumentar muito a receita do Estado. Parte do nosso crescimento é fruto de benefícios que nós não prorrogamos. Muitos prazos foram vencendo, em maio, junho, julho, e nós não renovamos. Por isso estamos dando conta. Tinha muito benefício que não era justificável. E é muito dinheiro. Um dia eu vou dizer quem é que tinha benefício”, prometeu. Perguntado se as concessões de benefícios tinham a ver com as eleições de 2014, Moreira foi sucinto, mas enfático: “Claro que sim”.

Questionado se na condição de vice-governador de Raimundo Colombo por sete anos não sabia da condição financeira do Estado, respondeu que não. Disse que recebia somente parte das informações e que só teve consciência da real situação quando ele e sua equipe começaram a comandar o Executivo.

Os slides abaixo foram apresentados na coletiva e mostram com clareza os números do Estado.