Por: Carlos Filipe | 13/04/2019

Um habeas corpus concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) provoca mudanças na política catarinense e impacta diretamente na região Sul do Estado. Com a decisão, o deputado federal Ricardo Guidi (PSD) perde o mandado, enquanto João Rodrigues, da mesma sigla deve reassumir a cadeira na Câmara dos Deputados.

Rodrigues obteve 67,9 mil votos nas eleições de outubro de 2019 e, com isso, ficou mais bem colocado que o criciumense, contudo, teve o registro de candidatura indeferido devido a uma condenação a cinco anos em regime semiaberto. Conforme o colunista Upiara Boschi, do Portal NSC Total, o envolvimento na Lei da Ficha Limpa é referente a supostas irregularidades quando Rodrigues era prefeito em exercício de Pinhalzinho, em 1999. O político afirma que o caso já prescreveu e que não houve prejuízo à administração pública.