Por: Litoral Sul | 09/08/2018

Fim dos privilégios dos políticos e alto escalão do funcionalismo público, liberdade econômica e menor intervenção do Estado na vida dos cidadãos. Essas foram as principais bandeiras escolhidas pelo candidato a deputado federal Luiz Baldin, do partido Novo, que lançou a candidatura em evento na noite desta quinta-feira, em Criciúma.

“Eu partilho da indignação de todos com a velha política. Para mudar, é preciso que as pessoas comprometidas com novas práticas se insiram nesse meio”, justificou o advogado, que se lança candidato pela primeira vez.
No ato, expôs o termo que assinou para não usufruir dos privilégios dos deputados, como carro oficial, auxílio moradia, apartamento funcional ou um “exército” de assessores. O Novo defende, ainda, a redução de um terço do número de deputados federais, passando dos atuais 513 para 342.
Redução do peso do Estado
As bandeiras da atuação de Baldin como futuro deputado federal são as mesmas do Novo, ou seja, a defesa da redução das atribuições do Estado, que deve trabalhar focado nas áreas essenciais, como educação, saúde e segurança.
“Não é função dos políticos gerir a extração de petróleo ou entrega de correspondência. A iniciativa privada cumpre esse papel de forma muito mais eficiente, gerando mais retorno para a sociedade. O cidadão não pode ser obrigado a ser sócio de empresas mal administradas”, afirmou o candidato. “A privatização não interessa à velha política porque os caciques dos partidos precisam de meios para operar atos de corrupção e se manter no poder”, acrescentou.