Por: Litoral Sul | 04/07/2019

Na passarela do II Fashion Senac, o tema “Sentidos” esteve presente nas criações de alunos do curso superior em Design de Moda da Faculdade Senac Criciúma. O evento – que foi realizado no Nações Shopping na noite desta quarta-feira, 3 – levou ao público elementos culturais de tribos indígenas de todo o mundo traduzidos em peças de vestuário e acessórios, em um projeto interdisciplinar que integrou estudantes de três fases.

A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2019 como o ano das Línguas Indígenas. Pautados neste contexto, os alunos desenvolveram looks que mostraram os costumes e hábitos dos índios na construção da diversidade cultural, trazendo para o desfile referências de design dos dias atuais.

Com a presença do renomado estilista Alexandre Herchcovitch na primeira fila, os estudantes de moda dividiram as criações em quatro momentos distintos na passarela: na abertura, o respeito às diferenças pode ser observado no conceito de moda inclusiva, que veste corpos reais com todas as suas particularidades.

Diversidade na passarela

No desfile, esta multiplicidade ganhou destaque com a presença de modelos que fogem dos padrões convencionais, como idosos, portadores de Síndrome de Down, diferenças de gêneros e orientação sexual, além de pessoas com deficiências físicas. “Promover a diversidade é uma das preocupações do Senac SC na formação do profissional de moda. A ideia deste tema é buscar maior representatividade neste universo, levando aos alunos o conceito de moda com propósito”, explica Meiriele Luiz, coordenadora do curso de Design de Moda da Faculdade Senac Criciúma.

Sustentabilidade, transformação e releitura da cultura indígena

Na segunda etapa, a proposta de reutilizar materiais apresentou peças confeccionadas a partir da transformação de artigos que seriam descartados. Entre as inovações, estavam peças confeccionadas com uma técnica que utiliza a casca de abacate como base. O terceiro momento do desfile trouxe a ideia de recriar, com looks que expressaram a concepção de uma marca criada pelos alunos com uma pegada sustentável. Já a última parte mostrou a importância de recomunicar a influência da cultura indígena nas criações de moda, fazendo uma releitura de traços e da linguagem destes povos em looks criativos.

Para o estilista Alexandre Herchcovitch, o evento tem grande importância na divulgação e profissionalização da moda e suas oportunidades de carreira. “As opções profissionais são inúmeras na moda, o importante é ter certeza do caminho a seguir”, afirma.

O II Fashion Senac, apresentado pelo Nações Shopping, Santana Textiles, Sebrae/SC e Faculdade Senac Criciúma, contou ainda com um talk show para empresários, professores, alunos e profissionais de moda. Com a presença de Herchcovitch e do professor Igor Drudi, o evento discutiu o futuro do trabalho e o impacto nos negócios de moda.