Por: Carlos Filipe | 20/03/2019

Um tipo de crime que já era frequente em grandes centros chegou à região Sul de Santa Catarina. É a clonagem do WhatsApp, que permite que golpistas se passem pelos titulares das contas no aplicativo e, assim, conversem com os contatos para pedir dinheiro.

Em entrevista ao Diário do Sul, o delegado Felipe Samir, da Central de Plantão Policial de Tubarão, informou que, pelo menos, quatro casos já foram registrados naquela unidade. “Os estelionatários enviam links para a vítima, solicitando que confira um número e informe. Porém, trata-se do código de segurança”, enfatiza.

O delegado ressalta ainda a importância de comunicar fatos como esse à autoridade policial. Caso o usuário perceba que teve o WhatsApp clonado, deve registrar o crime através de um Boletim de Ocorrência e comunicar a situação à empresa responsável pelo aplicativo.