Por: Carlos Filipe | 06/06/2019

Era uma tarde de quarta-feira tranquila como tantas outras, na pacata localidade de São Tomás, no interior de Imaruí. O sol brilhava, iluminando a propriedade cercada por áreas de mata nativa, cachoeiras e belezas naturais. Enquanto isso, a pequena Iara Nogareti, de apenas dois anos, brincava com os cães de estimação, dentro do carro da família, a poucos metros de sua residência.

Como num piscar de olhos, a criança e os animais já não estavam mais ali. Era o início do desespero e do medo do pior chegando, da forma mais inesperada, aos pais da pequena. O caso mobilizaria dezenas de agentes da segurança pública em buscas noite adentro, além de milhares de pessoas em oração, Brasil afora.
Passado o susto, já com a menina sã e salva, graças ao empenho das forças de resgate, o Portal Litoral Sul refaz a cronologia dos fatos, desde o desaparecimento até o final feliz.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui 

Quarta-feira

13h45: A pequena Iara desaparece enquanto brincava com os cães de estimação. A mãe inicia buscas nos arredores da casa da família.

14h20: Sem encontrar a filha, a mãe aciona o Corpo de Bombeiros da vizinha cidade de Armazém, mesma unidade em que o pai da menina, soldado Eduardo Machado Nogareti, trabalha. As buscas iniciam minutos depois e mobilizam bombeiros de várias cidades da região, além do helicóptero Arcanjo, de Florianópolis, mergulhadores e cães farejadores.

– Um posto de comando da operação é montado na residência da família.

– Ao cair da noite, o trabalho fica ainda mais difícil, devido à visibilidade prejudicada. Mesmo assim, as buscas continuam, com as equipes prontas para passarem a madrugada à procura de Iara.

– 21h45: Uma informação de que a menina havia sido encontrada começa a circular pelas redes sociais, mas a notícia não era verdadeira. Enquanto isso, os trabalhos de resgate continuavam no entorno da propriedade.

Quinta-feira

– 05h00: O Corpo de Bombeiros divulga mais um informativo sobre as buscas, que passam a contar com uma câmera térmica e três drones.

– 10h45: Depois que quase 24 horas de aflição, o final feliz: ao fazer mais uma busca nos arredores da residência, o capitão Marques se desloca em direção a uma ponte, a cerca de 200 metros da casa da família. Numa estrada íngreme e fechada, avista a pequena Iara, caminhando acompanhada por seu cãozinho, enquanto chorava e chamava pelo pai. Era o fim de um drama e o retorno da felicidade da família.

No áudio, o tenente Ian, responsável pela Comunicação do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, confirmava a informação.