Por: Carlos Filipe | 04/02/2019

A posse dos deputados estaduais de Santa Catarina, que ocorreu na última sexta-feira (1º), na Assembleia Legislativa (Alesc), em Florianópolis, foi marcada por uma polêmica. O que gerou comentários contrários e favoráveis nas redes sociais, contudo, não foi a declaração ou posicionamento de algum dos eleitos sobre assuntos de interesse da população catarinense. O que chamou a atenção foi o decote da deputada Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT). Agora, ela deve acionar a Justiça contra os autores das ofensas.

Nas fotos publicadas nas redes sociais, a parlamentar, que é ex-prefeita de Bombinhas, recebeu críticas e até mensagens que falavam em estupro. “Printamos e vamos avaliar. Os mais maliciosos eu fiz questão de apagar, porque nenhuma mulher merece receber esses comentários. Não acho que estava inadequado”, afirmou, em entrevista à colunista Dagmara Spautz, no Portal NSC Total.

A pedetista relembra que sempre usou roupas justas e decotadas. “As mulheres têm peito e eu tenho peito grande, sempre fui assim. Não é agora, que virei deputada, que vou virar outra mulher. Não estou aí para ser avaliada por isso. A sociedade de Bombinhas me avaliou pelo meu trabalho”, enfatizou, concluindo que “tem questões muito mais importantes para a Assembleia Legislativa discutir”.

Para Alesc, ofensas são ataques à democracia

Em nota oficial, a Alesc classificou as ofensas à parlamentar como “um ataque à todo o parlamento e, consequentemente, à democracia”. O Legislativo destacou ainda o Artigo 101 do Regimento Interno, que estabelece uso de “traje passeio completo” por deputados, servidores e jornalistas, mas não define decotes, fendas ou comprimentos de saias e vestidos.