Por: SC Portais | 05/06/2018

Em entrevista à Folha de São Paulo, o economista Eduardo Gianetti, da USP, disse que esta revolta dos caminhoneiros pode ser o embrião de uma rebelião tributária. “É uma insubordinação que começa quando a população não aceita mais a legitimidade do governo para tributá-la. A revolução americana começou com o lema no taxation without representantion.”, destacou Gianetti. A paralisação, que começou com uma insatisfação dos caminhoneiros pela política de reajuste diário no preço dos combustíveis, resultou em um levante popular com 87% da população consultada apoiando a paralisação dos caminhoneiros, segundo pesquisa Data Folha.

Em Brasília

Resultou na queda do presidente da Petrobrás, Pedro Parente. Para observadores de plantão, Parente caiu mais por conta de uma movimentação na Câmara dos Deputados para aprovarem uma CPI na estatal. Foi uma saída estratégica.

Na economia

O alarde é grande “por conta dos prejuízos”.  A greve dos caminhoneiros fez economistas reduzirem a expectativa de crescimento do país neste ano. A projeção para o PIB caiu de 2,37% para 2,18%. Aproveitando a onda, governos falam em mais tributos “para não quebrarem”. Empresas pedem linhas especiais de financiamento “para não fecharem e evitarem demissões”. Convenhamos, mas foram estes dez dias de paralisação que provocaram tudo isto?

Na política

Está difícil segurar o descrédito para cima dos políticos que estão no poder. Longe das bases e da realidade do dia a dia do país, depois de quase três dias de greve que o governo federal foi se dar conta do que estava acontecendo no país. Aí, sim, o prejuízo político foi grande.

No esporte

Quem já viveu muitas outras Copas do Mundo é unânime em afirmar que nunca viram tamanho desinteresse do povo com a seleção canarinha. A situação do país roubou a cena. Aliás, a quem afirme que poucos sabem o nome de um ou outro jogador, mas qualquer um sabe o nome do juiz que está colocando políticos na cadeia.  E com certeza sabem o nome de mais de um magistrado do Superior Tribunal Federal.

Na paróquia

Justiça seja feita ao governo do Estado e às prefeituras da região carbonífera, pela agilidade com que se organizaram em seus Comitês de Crise, evitando danos irreversíveis na área da saúde, em pacientes com tratamento contínuo. Méritos especiais à Defesa Civil do Estado, que mostrou na prática o quanto está preparada para enfrentar crises.

Atores principais

Os caminhoneiros foram os atores principais que conseguiram um ganho no curto prazo, congelando o preço do diesel por 60 dias, entre outras conquistas. E a eles deve agradecer o governo e toda classe política porque mostraram o quanto está descontente o povo brasileiro, talvez dando ainda algum tempo para correrem atrás do prejuízo de imagem e reverterem até as eleições daqui a quatro meses.