Por: SC Portais | 04/09/2018

A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) está entre as primeiras no Estado em número de associados e prestação de serviços. Além da atividade foco de atenção às questões empresariais, a instituição abriu o leque para ações de incentivo à educação e cultura.

 

Vagas de emprego

No site da Acic (acicri.com.br), com acesso livre, está o “Banco de Talentos”, onde interessados em vagas de emprego – nesta terça-feira, 04, estavam cadastradas 377 vagas – podem pesquisar se alguma é do seu interesse. Podem, também, postar seu currículo para eventual oportunidade.

 

Falta gestão

Para a Coordenadora de Projetos na Área da Educação da Acic, professora Rose Reynaud, que também já foi Secretária Municipal de Educação em Criciúma, um dos maiores problemas no setor educacional  é a falta de gestão.

“O problema é que os investimentos são insuficientes e a falta de gestão agrava o problema. Se o recurso que é destinado hoje fosse bem gerido já faríamos mudanças significativas. Ele é suficiente para atender o básico, se bem gerido, mas, se quisermos avançar e qualificar precisamos mais investimentos, principalmente para melhorar o salário dos professores”, pontua Rose Reynauld.

 

 Uma escola, uma empresa

Neste ano de 2018, o Projeto Piloto “Uma Escola, uma Empresa”, coordenado pela Acic, atende quatro unidades de ensino em Criciúma. Através deste projeto, em um determinado bairro uma escola entra em sintonia direta com uma empresa, que passa a apoiar as atividades escolares nas questões de gestão. Estão em andamento: EM Adolfo Back e empresa Dedetizadora Trombim, na Mina União, EM Lili Coelho e Dione Calçados, na Santa Luzia, EM Vilson Lalau e Cribrás, no Cristo Redentor, e EM Jorge da Cunha Carneiro e Forauto, na Próspera.

 

Nota baixa

Educação é um tema que vem ocupando a atenção das lideranças empresariais pelo baixo desempenho das escolas em nível nacional. Dados divulgados pelo Ideb esta semana, mostram resultados abaixo da média, na faixa de 3,8 onde a máxima é dez. A Acic vem se envolvendo com projetos que já está realizando desde 2014, e a Fiesc já vem atuando neste sentido com o movimento de excelência na Educação. A edição de 29 de agosto da revista Veja traz uma ampla e preocupante reportagem sobre o tema.