Por: Litoral Sul | 22/02/2019

A Assembleia Legislativa será palco, na próxima segunda-feira, dia 25, de uma reunião para debater a segurança das barragens existentes no estado e os direitos das famílias atingidas pela construção deste tipo de estrutura.

O evento, proposto pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e que conta com o apoio do gabinete do deputado Fabiano da Luz (PT), acontece às 19 horas, no plenarinho do Palácio Barriga Verde. Além de integrantes do MAB, lideranças políticas e de entidades sociais, serão convidados para o encontro representantes da Agência Nacional de Mineração (ANM).

Conforme Fabiano da Luz, que coordena na Alesc a Frente Parlamentar dos Direitos das Famílias Catarinenses Atingidas por Barragens, o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, no município de Brumadinho (MG), despertou a atenção sobre o nível de segurança dos represamentos existentes no estado.

São 177 barragens em SC

Em Santa Catarina, segundo consta no Plano Estadual de Recursos Hídricos, de 2018, existem 177 barragens, sendo nove compostas por rejeitos decorrentes da extração de carvão e as restantes de usinas hidrelétricas. Algumas delas utilizam a mesma técnica de represamento (a montante) da barragem de Brumadinho. Ainda de acordo com o levantamento, outras 288 estruturas estão em fase de construção, licenciamento ou estudo.

Em decorrência da tragédia ocorrida em Brumadinho, na qual foram registrados pela Defesa Civil de Minas Gerais até o momento 169 mortes e 141 pessoas desaparecidas, o governo federal determinou a inspeção de 3.386 barragens em todo o país, sendo 44 delas em território catarinense, classificadas como de risco ou com dano potencial associado. “É justamente por isso que precisamos discutir, pois às vezes imaginamos que o problema está do outro lado do país e ele está aqui, na porta da nossa casa” ressalta Luz.

Entre as questões que serão ser abordadas durante o encontro, segundo o parlamentar, estão o grau de risco que as represas existentes no estado representam, se há planos de evacuação da população circundante em caso de acidentes e de que forma as famílias atingidas pela construção de barragens estão sendo atendidas.